Como personalizar o seu negócio de artesanato

por Artemix.

O artesanato é algo cada vez mais banalizado, a globalização e a promoção de grandes multinacionais levou os consumidores a procurarem outro tipo de produtos. Este decréscimo de procura de produtos artesanais deu-se a partir da Revolução Industrial, no século XIX.

O artesanato é algo cada vez mais banalizado, a globalização e a promoção de grandes multinacionais levou os consumidores a procurarem outro tipo de produtos. Este decréscimo de procura de produtos artesanais deu-se a partir da Revolução Industrial, no século XIX.

No entanto, um artesão, seja qual for a área, deve defender o seu trabalho, até porque este é uma arte e por essa razão deve de ser mantida presente. A manufaturação no país é um bem a ser preservado. Quando a concorrência é muita, há que inovar e mostrar a diferença, existem algumas formas muito originais e criativas de o fazerem.

1- Estar na moda. Artesanato é sempre artesanato, é algo típico de uma região e com características próprias, no entanto não deixará de ser típico por ter alguns apontamentos contemporâneos. Chamará mais a atenção do consumidor e irá abranger mais faixas etárias,

2- Trabalhar em público. Normalmente o local de venda dos seus produtos serão feiras, mercados ao ar livre, centros de atração turística e locais do género. O facto de se estar a trabalhar ao ar livre, a mostrar a arte ao público, irá atrair os olhares de todos, principalmente dos turistas, pois estes procuram algo diferente. O facto de se chamar a atenção de todos, pode trazer maior número de vendas.

3- Ter variedade. Um artesão especifica-se num tipo de produto, no entanto é bom ter variedade, nem que para isso se tenha que comprar produtos a alguém que saiba fazer outro tipo de artigos. Quando um cliente vem com interesse em comprar um determinado artigo, pode acabar por comprar mais dois ou três diferentes.

4- Saber lidar com os turistas e saber o que eles gostam. Os principais consumidores de produtos artesanais são turistas, pois são estes que vêm para conhecer uma determinada região e que têm interesse em levar uma lembrança ou em ter algo diferente. Por essa razão é bom saber atrair os turistas, mostrar-lhes o que eles gostam de ver e contar-lhes as curiosidades que eles querem saber.

5- Estar informado sobre as histórias ou lendas que podem estar por trás de cada produto típico. Isto pode jogar muito a favor do artesão, pois mostra às pessoas que elas não estão só a comprar um artigo típico mais também um pouco da história da região.

6- Ter sentido de humor. Por vezes jogar um pouco com os artigos e tentar fazer deles algo cómico pode ser muito bom para o negócio. Isto consiste em pegar num artigo artesanal e manuseá-lo para que este tenha uma vertente cómica. Existem muitos exemplos disso com algumas peças de loiça típicas de algumas zonas do nosso país, são transformadas em peças divertidas.

7- Diversificar ao longo do ano. Apresentar sempre o mesmo tipo de produto torna-se monótono e muito desinteressante. É necessário mudar as cores, os modelos e combinações ao longo das épocas do ano para que o trabalho seja mais cativador.

8- Saber aproveitar as boas oportunidades. Mais importante do que ser bom naquilo que se faz é saber onde e quando vender o seu produto. É importante estar informado sobre os principais e mais importantes eventos para estar sempre presente e assim ganhar boas oportunidades de negócios.

9- Estar com atenção à concorrência. Por muito que todos digam que não, todos olham ao trabalho da concorrência, e isso, ao contrário do que pensam, não é mau. O espirito competitivo, se for saudável, pode ser muito construtivo. Observar o trabalho dos outros pode nos ajudar a atingir objetivos mais altos, tentar vencer a concorrência e querer fazer melhor que esta, é ótimo!

10- Ser fiel à tradição! Apesar de haver evolução e inovação, é essencial que haja fieldade à história e à tradição. Se a fieldade àquilo que é genuíno for traída, acaba-se o conceito de artesanato, e aí os produtos passam a ser vistos com outros olhos, e perdem um pouco de interesse.

O artesanato no nosso país é um património a ser preservado, o futuro está nas mãos dos artesãos que têm o dever de passar o dom de geração em geração e de promover o que é nosso, se estes desmotivarem deixaremos de ter os nossos produtos manufaturados nacionais e assim perderemos um pouco da nossa história.